O que é Tuberculose? Sintomas, Tratamentos e Causas

Engana-se quem pensa que a Tuberculose é uma doença do passado, embora os tratamentos para o problema evoluíram, a doença não está erradicada no Brasil. Isso de acordo com declarações à imprensa da coordenadora do Programa Nacional de Controle da Tuberculose do Brasil 2018, Denise Arakaki. Ela afirmou que o país apresenta um terço dos casos da doença diagnosticadas em todo o continente americano.

Para quem não sabe a Tuberculose trata-se de uma doença grave infecto-contagiosa. Ela é ocasionada, principalmente, pela bactéria conhecida como Bacilo de Koch.

A doença atinge, principalmente, os pulmões. Porém, a Tuberculose pode afetar outros órgãos do corpo, como os rins, os ossos e as meninges – membranas que recobrem o cérebro.

Tipos de Tuberculose

Existem diversos tipos de Tuberculose, como já foi mencionado. A doença é classificada de acordo com o órgão que ela afeta. Os tipos são:

  • Tuberculose pulmonar: tipo mais da doença, que atinge os pulmões.
  • Tuberculose extrapulmonar: doença que acomete outros órgãos, que não os pulmões.
  • Tuberculose pleural: afeta a membrana dos pulmões, chamadas de pleura.
  • Tuberculose ganglionar: a doença é mais comum nos portadores de HVI. Afeta os linfonodos (gânglios) do pescoço.
  • Tuberculose óssea: ocorre quando a doença atinge, geralmente, a região da coluna vertebral.
  • Tuberculose urinária: confundida, muitas vezes, com a infecção urinária, a doença se instala no trato urinário (bexiga, rins, uretra, etc).
  • Tuberculose cerebral: tipo raro, mas muito grave da doença. As bactérias afetam a região cerebral, podendo causar meningites e até mesmo tumores.
  • Tuberculose ocular: nesse tipo de Tuberculose, depois de atingir os pulmões, a doença afeta o globo ocular. Acomete mais pessoas com a imunidade comprometida e portadoras de outras doenças, como o HVI, o câncer e a diabetes.
  • Tuberculose cutânea: ocorre mais em regiões tropicais e úmidas. Atinge, primeiramente, os pulmões e depois a pele. É mais comum em pessoas com a imunidade comprometida.
  • Tuberculose do coração: conhecida também como pericardite, atinge o pericárdio – espécie de saco que recobre o coração.
  • Tuberculose do peritônio: doença rara, mas bastante grave, que pode levar facilmente ao óbito. Atinge o peritônio – membrana que recobre as paredes abdominais e dos órgãos digestivos em geral.

Sintomas da Tuberculose

Os principais sintomas da Tuberculose são comuns para a maioria dos tipos da doença. Os principais deles são:

  • Presença de tosse seca,
  • Presença de tosse com secreção (sangue e/ou pus), depois da tosse seca,
  • Sensação intensa de cansaço e fadiga,
  • Presença de febres baixas, que se manifestam, em geral, a partir da tarde,
  • Falta de apetite, podendo levar à perda de peso,
  • Sudoreses noturnas,
  • Emagrecimento acentuado sem causa aparente,
  • Aparência pálida,
  • Prostração,
  • Rouquidão.

Outros sintomas podem ocorrer quando a Tuberculose está em estágios avançados, como:

  • Tosses com grande eliminação de sangue;
  • Dificuldades para respirar;
  • Presença de pus na pleura;
  • Dores torácicas;
  • Colapso no pulmão; entre outros.

Causas e Transmissão da Tuberculose

A Tuberculose é ocasionada pela Mycobacterium tuberculosis – bactéria mais conhecida como Bacilo de Koch. Porém, outras espécies de bactérias podem causar a doença, como a Mycobacterium bovis, a microti e a africanum.

Não existe hospedeiro intermediário para a Tuberculose. Ou seja, a transmissão acontece de uma pessoa para a outra.

Uma pessoa sadia pode contrair a doença de outra com Tuberculose. Isso é possível se uma pessoa aspirar, por exemplo, gotículas vindas de tosses do doente ou ao compartilhar talhares.

Também ambientes fechados e com aglomerações de pessoas podem ser mais uma maneira de contrair a doença.

Vale ressaltar que existem fatores de risco, que levam uma pessoa ser mais propensa a contrair a Tuberculose do que outra. Esses casos são:

  • Falta de higiene;
  • Imunidade baixa por má alimentação ou doenças;
  • Alcoolismo;
  • Tabagismo; entre outros.

Diagnóstico da Tuberculose

Há diversos tipos de exames que podem detectar a presença da Tuberculose no paciente. Os principais exames são:

  • Radiológico: radiologias feita na região do tórax contribuem com o diagnóstico da Tuberculose. O exame registrar possíveis alterações nas estruturas pulmonares.
  • Baciloscopia do escarro: o exame trata-se da coleta de escarro do paciente e é fundamental para o diagnóstico da Tuberculose. Isso porque a doença costuma ser confundida com a pneumonia.

A análise é feita por meio de uma amostra do escarro colhido da tosse do paciente. Esse exame deve ser realizado antes do uso de qualquer tipo de medicamento, para não alterar o resultado.

  • Prova Tuberculínica (PT): exame que faz a análise dos antígenos da bactéria que causa a Tuberculose (M. Tuberculosis)
    (Foto: Divulgação/Google/Imagens – Imagens livre de direitos autorais)

Tratamento da Tuberculose

Nas últimas décadas, o tratamento para a Tuberculose evolui muito. Ele é realizado com a administração de medicamentos antibióticos e costuma ser 100% eficaz. A cura completa da doença, porém, demora um pouco a acontecer, em geral, seguindo as recomendações médicas, o portador da Tuberculose consegue se livrar da doença em um prazo aproximado de 6 meses.

É de extrema importância que não exista o abandono do tratamento. Parar com os cuidados sem obter a alta médica pode levar ao reaparecimento dos sintomas, piora do quadro ou, até mesmo, ao óbito. A principal medicação antibiótica para o tratamento da Tuberculose é o Bromidrato de Fenoterol.

Isolamento do Portador de Tuberculose é Necessário?

Os portadores de Tuberculose não são mantidos em isolamento, como acontecia há décadas atrás. Isso devido ao surgimento da vacina BCG para crianças e a evolução do tratamento.

No entanto, no caso de Tuberculose Pulmonar é recomendado que o paciente se afaste de sua residência e do ambiente de trabalho por cerca de 15 dias, por meio de internação hospitalar.

Essa conduta evita a transmissão fácil da doença para outras pessoas, além disso, protege o sistema imunológico do próprio paciente. Depois desse período, o paciente costuma ser liberado para voltar as suas atividades, realizando o tratamento em casa.

Prevenção da Tuberculose

A Tuberculose pode ser evita com a imunização das crianças, através da vacina BCG. A vacina, no entanto, não pode ser aplicada em recém-nascidos e crianças que possuam o vírus HIV.

Para finalizar, há outras maneiras de fazer a prevenção da Tuberculose, como: não utilizar objetos de pessoas contaminadas e evitar permanecer muito tempo em ambientes fechados e com aglomeração de pessoas.

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios