Choque séptico o que é? Tem cura? Causas, Sintomas e Tratamentos

Muita gente ainda desconhece o que é o Choque Séptico. O problema se trata de um quadro muito grave, com altas taxas de mortalidade.

Portanto, se você quer se informar mais sobre esse problema, se ele tem cura, quais os sintomas e os tratamentos possíveis, continue por aqui. O material traz informações importantíssimas para o grave problema do Choque Séptico. Fique sabendo tudo agora mesmo!

O que é Choque Séptico

 

O Choque Séptico se trata de um quadro grave, que costuma trazer risco de morte para o portador. Ele acontece por meio do processo de sepse – manifestações que podem afetar todo por infecções.

A condição pode ser ocasionada por vírus, bactérias ou fungos que vão para a corrente sanguínea do paciente. A infecção acaba por atingir todo o sistema imunológico da pessoa, causando uma reação em cadeia e provocando infecções de difícil combate. O Choque Séptico é uma espécie de resposta do organismo ao processo infecção, provocando, assim, febres, alterações da pressão arterial, alteração da frequência cardíaca, problemas na quantidade das células brancas do sangue e na respiração, entre outros sinais.

Choque séptico tem cura?

 

A taxa de mortalidade do Choque Séptico costuma ser alta, devido à infecção generalizada que o problema causa. No entanto, a falência ou não do paciente depende também de suas condições gerais do seu estado de saúde, além das causas da infecção e da agressividade dela. Quanto mais cedo forem adotadas medidas para combater o Choque Séptico, mais chances de sobreviver o paciente tem.

Causas do Choque Séptico

 

O Choque Séptico, em geral, tem como sua principal causa a infecção por bactérias. Qualquer espécie de bactéria pode acabar por causar o Choque Séptico em uma pessoa. Além disso, vírus e fungos também podem ocasionar a condição – embora sejam casos mais raros.

Os agentes invasores liberam toxinas no organismo da pessoa, ocasionando danos aos tecidos e ao sistema imunológico do paciente, além da baixa da pressão arterial e da função reduzida dos órgãos em geral.

Alguns estudos ainda apontam que o Choque Séptico pode causar pequenos coágulos de sangue nas artérias, o que leva a uma diminuição da circulação sanguínea da pessoa e reduzindo, ainda mais, o funcionamento adequado dos órgãos.

No Choque Séptico, o organismo costuma oferecer intensas respostas à infecção, contribuindo para que os órgãos sofram danos.

Não são causas principais do Choque Séptico, mas podem ser considerados fatores de risco para ocasionar o quadro:

  • Diabetes;
  • Doenças que causem deficiência do sistema imunológicos, como a Aids;
  • Problemas graves no sistema geniturinário, no sistema intestinal ou no sistema biliário;
  • Leucemias;
  • Uso por longos períodos de cateteres, especialmente do tipo que tenham linhas intravenosas, cateteres do tipo urinário e cateteres de metal ou de plásticos (usados para drenagens);
  • Uso de alguns antibióticos por longos períodos;
  • Infecções recentes;
  • Casos de linfoma;
  • Ter passado por cirurgias ou procedimentos recentes;
  • Uso de medicamentos com esteroides; entre outras.

Sintomas de Choque Séptico

 

O Choque Séptico costuma afetar, além do sistema imunológico, o funcionamento de diversos órgãos como: o cérebro, o coração, o fígado, os intestinas, os rins e outros. Diversos são os sintomas que o quadro pode causar, sendo os principais deles:

  • Alterações da temperatura corporal: muito alta ou muito baixa;
  • Extremidades frias do corpo;
  • Palidez;
  • Tremores;
  • Tonturas;
  • Produção reduzida da quantidade de urina;
  • Ausência de micções;
  • Pressão arterial baixa, em especial, quando o paciente fique de pé;
  • Aceleração da frequência cardíaca;
  • Palpitações;
  • Inquietação;
  • Agitação;
  • Letargia;
  • Confusões mentais;
  • Lesões na pele;
  • Pontos de despigmentação na pele;
  • Falta de ar; entre outros

Complicações de Choque Séptico

 

O Choque Séptico costuma ser responsável por diversas complicações no quadro do paciente. As principais complicações possíveis que o Choque Séptico traz são:

  • Insuficiência cardíaca;
  • Insuficiência respiratória;
  • Gangrena, podendo resultar na necessidade de amputação de membros, em especial, dos pés e das pernas;
  • Casos de falência de diferentes órgãos do corpo do paciente;
  • Óbito; entre outras.

Tem como prevenir o Choque Séptico?

 

Infelizmente não há maneiras eficazes ou relatadas para se prevenir o Choque Séptico.

 

Diagnóstico de Choque Séptico

 

O Choque Séptico não é difícil de ser percebidos pelos profissionais médicos, devido aos seus sintomas. No entanto, costumam ser realizados exames para confirmar a existência do quadro.

Os principais exames que confirmam o diagnóstico para o Choque Séptico são:

  • Radiografia do tórax do paciente, que permite verificar se há presença de pneumonia ou a existência de líquidos nos pulmões, que ocasionam edemas pulmonares;
  • Exames de sangue, que possibilitam investigar existência do processo infecioso, assim como baixos índices de oxigênio no sangue do paciente, alterações no equilibro ácido-base do organismo, diminuição do funcionamento adequado dos órgãos, possível falência e outras condições;
  • Exame de urina, que costuma também mostrar a presença de infecções.

Tratamentos contra o Choque Séptico

 

Os casos de Choque Séptico são considerados como emergências médicas e, assim, o tratamento do paciente deve ser iniciado o quando antes. Algumas medidas que podem ser tomadas no tratamento contra o Choque Séptico, que costumam incluir:

  • Administração de medicações para controlar a pressão arterial baixa;
  • Uso de medicamento para combater o processo de infecção;
  • Medicações para evitar a formação de coágulos sanguíneos, que possam dificultar a circulação do sangue;
  • Uso de equipamentos para a respiração artificial do paciente, que são conhecidos como processo de ventilação mecânica;
  • Adoção do uso de balões de oxigênio;
  • Ingestão de líquidos pelas vias intravenosas;
  • Realização de algumas cirurgias; entre outras.

Atualmente, também há disposição dos médicos, novos tipos de medicamentos, que costumam agir contra as respostas intensas do organismo contra o processo inflamatório do Choque Séptico. Essas novas drogas ainda conseguem limitar os danos que os órgãos podem sofrer devido ao quadro infeccioso.

Ainda, há pacientes que precisam ser monitorados de forma hemodinâmica – ou seja – para a avaliação e controle da pressão dos pulmões e do coração.

Choque Séptico – considerações finais

 

Como pudemos ficar sabendo, aqui, o Choque Séptico é uma condição grave, que pode levar a pessoa à morte. Felizmente, vimos também que existem chances de o paciente sobreviver ao problema – desde que o atendimento seja adequado e iniciado o mais rápido possível.

Caso você ou alguma pessoa apresente os sintomas relatados sobre o Choque Séptico, procure imediatamente um serviço de atendimento médico de urgência. Não coloque a sua vida ou a de pessoas próximas em risco!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios