O que é cadeia de valor? Como Fazer?

Em meio a tantos termos do Universo corporativo, às vezes, até mesmo quem trabalha na área empresarial fica confuso com eles. Um desses termos é a Cadeia de Valor.

Porém, é praticamente impossível que alguém que trabalhe no meio empresarial não tenha pelo o menos um pouco de conhecimento sobre esse conceito.

Mas mesmo assim, informação nunca é demais. Cadeia de Valor, para quem não sabe, trata-se de uma espécie de modelo das estruturas desempenhadas por uma empresa, que visa assegurar o máximo de qualidade dos serviços ou produtos ofertados pelo cliente. Além disso, a Cadeia de Valor deve ser estruturada de forma que torne a empresa mais competitiva no mercado.

Portanto, você pode perceber que uma organização que não tenha uma Cadeia de Valor estruturada dificilmente manterá um bom desempenho em todos os seus setores. Além disso, deixará a desejar em qualidade, em relação ao seu público consumidor. Também se torna uma empresa de baixa competitividade no mercado.

E, em tempos de instabilidade econômica, uma organização ser pouco competitiva no mercado significa grandes prejuízos e crise.

Voltando ao conceito de Cadeia de Valor, ele foi desenvolvido pelo professor norte-americano Michael Eugene Porter. No modelo que Porter propõe, a Cadeia de Valor deve ser criada através de um fluxograma de todas as atividades fundamentais da empresa, a fim de agregar valor do serviço ou produto de determinada organização.

Ainda no modelo proposto por Porter, todas as etapas do processo da criação de um serviço ou de um produto são fundamentais para a valorização final. Assim, é de extrema importância tanto a fase de relações com fornecedores, por exemplo, até a forma como a empresa oferece seu serviço ou produto final ao seu público consumidor.

A Cadeia de Valor possibilita que uma empresa consiga avaliar as etapas de sua produção que geram valor ao seu produto ou serviço. E, com isso, melhorar ainda mais tais setores, tornando a empresa ainda mais competitiva.

E não é só isso. Contar com uma Cadeia de Valor ainda permite que a empresa averigue quais setores ou processos não estão agregando valor a ela. Isso possibilita que a organização reestruture esses setores ou processos ou faça cortes. O que isso tem de importante? Economia de tempo e de capital – duas coisas essenciais para uma empresa conseguir, hoje em dia, sobreviver no mercado.

Além disso, o modelo que Porter propôs prevê uma Cadeia de Valor formada por dois conjuntos de atividades:

  • Atividades primárias: operações, logística interna, marketing, logística externa, serviço, vendas e pós-venda.
  • Atividades de apoio: desenvolvimento de tecnologias, aquisição, infraestrutura da empresa e gerência de recursos humanos.

Mas, e na prática? Você deve estar se perguntando como implantar uma Cadeia de Valor em uma empresa, não é? Pois é isso que iremos abordar no restante desse artigo.

(Foto: Divulgação/Google/Imagens – Imagens livre de direitos autorais)

Cadeia de valor de uma empresa

Para que você consiga criar uma Cadeia de Valor para sua empresa, tornando- a mais competitiva no mercado, você pode seguir algumas etapas. Isso lhe ajudará a identificar o que deve ser melhorado, mantido ou mesmo descartado do processo de produção completo de seu serviço ou produto.

  • 1ª Etapa: Identificar subatividades para cada uma das atividades primárias da empresa

Tenha em mente que para cada atividade primária, existem diversas subatividades. E entre essas subatividades, há pelo menos 3 tipos delas, que são:

  1. Atividades diretas que agregam valor por si mesmas: atividades de departamentos de marketing ou vendas, por exemplo, que estão em contato direto com o público consumidor, gerando valor por eles mesmos.
  2. Atividades indiretas: podem ser entendidas como aquelas que dão condições para que as subatividades diretas aconteçam, como, por exemplo, setores de força de vendas ou que fazem a manutenção do cadastro de consumidores em potencial da empresa.
  3. Atividades de garantia de qualidade: são aquelas que garantem que as outras duas primeiras atividades chegam aos padrões esperados. Aqui entram departamento de testes, treinamentos, etc.
  • 2 ª Etapa: Identificar subatividades que dão suporte para cada atividade

Ao contrário da 1ª etapa, aqui, você deve fazer a identificação das subatividades que dão suporte para que cada atividade da empresa aconteça com qualidade e eficiência. Você irá perceber que praticamente todas as atividades e subatividades estão relacionadas.

(Foto: Divulgação/Google/Imagens – Imagens livre de direitos autorais)

O Departamento de Recursos Humanos, por exemplo, agrega valor ao Departamento de Logística. Assim como o Setor de Tecnologia agrega valor ao Setor de Operações e assim por diante.

  • 3 º Etapa: Reconhecer conexões

Nessa etapa, identifique e separe todas as atividades que você considera que geram valor à empresa, aos seus produtos ou serviços oferecidos. E assim, crie uma conexão entre as atividades identificadas.

Essa etapa demanda tempo, mas serão essas conexões que permitirão você criar uma Cadeia de Valor mais eficiente. Tais conexões são fundamentais para a empresa corrigir eventuais erros, potencializar setores e, assim, torná-la mais competitiva no mercado, oferecendo o que a organização tem de melhor ao consumidor final.

  • Etapa 4: Identificando oportunidades para aumentar valores

Reveja cada uma das atividades e subatividades que você reconheceu na empresa. Pense em estratégias para mudá-las ou, então, aperfeiçoá-las para potencializar o valor que a empresa já vem oferecendo aos clientes.

Essa é uma estratégia bastante eficaz para agregar mais valor a empresa. Além disso, confira as sugestões:

– Sugestão 1: Ao criar uma Cadeia de Valor para a organização, tenha em mente se você está tentando se diferenciar dos concorrentes ou pretende apenas baixar os custos da empresa.

– Sugestão 2: Ao seguir as etapas, uma quantidade enorme de mudanças, possivelmente, se mostrará necessária. Você deve determinar quais delas irá fazer primeiro. Crie um cronograma para se organizar.

Criando uma Cadeia de Valor

Para criar uma Cadeia de Valor não há como escapar de fazer uma análise minuciosa de todos os processos e atividades da organização. É essa análise que possibilitará que você identifique etapas do processo que precisam de melhorias ou mesmo serem eliminadas.

Apesar desse trabalho complexo é só assim que a empresa terá melhorias, além de contar com corte de custos – custos estes que podem ter sido até agora desperdiçados pela organização.

Como resultado de se ter uma Cadeia de Valor, certamente, a empresa obterá mais eficiência no processo de produção de serviços e produtos a menor custo, sem impactar na qualidade deles – muitas vezes até aumentando. Com isso, a organização estará melhor preparada para enfrentar a voraz competitividade de mercado – independente da área em que ela atue.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Fechar
error: Content is protected !!
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios