Leite materno: O melhor alimento para o ser Humano

O leite materno no desenvolvimento da criança é fundamental para prevenir a saúde da mãe e do filho, descubra nesse artigo tudo sobre o melhor alimento que poderemos consumir.

O leite materno é um dos alimentos mais completos do mundo com proteínas, carboidratos e gorduras que são essenciais para o crescimento saudável do bebê. Logo é fundamental que toda criança possa ter o direito a amamentação, fortalecendo os laços maternos e a imunidade.

Segundo a OMS (organização mundial da saúde) com base em estudos, afirma que mais de 820 mil crianças não morreriam no mundo até os cinco anos de idade se tivessem disponíveis o aleitamento materno.

Assim, a amamentação mostra que é muito mais que nutrição é condição para se manter vivo, veja logo a seguir nesse artigo, tudo sobre o leite materno.

Aleitamento materno é o alimento mais rico do mundo

 

Na primeira semana de agosto, dia 1° ao 7°, a OMS promove a Semana da Amamentação. Essa semana tem como intuito incentivar as mães a amamentarem seus filhos, explicando os benefícios do leite e tirando dúvidas a respeito da amamentação.

A amamentação é imprescindível nos primeiros 6 meses de vida do bebê, porque possui os nutrientes necessários para o seu desenvolvimento.

O leite materno é o alimento mais rico do mundo pois além de transmitir o amor da mãe para o filho ele é abundante em:

  • Água
  • Vitaminas
  • Proteínas
  • Gorduras

As proteínas do leite materno possuem todos os aminoácidos essenciais para que o crescimento seja saudável, impossibilitando o surgimento de doenças por desnutrição. Logo, têm diversas funcionalidades no corpo do recém-nascido e uma das principais é o fortalecimento do sistema imunológico do bebê pois possui substancia relacionadas a essa proteção como por exemplo:

  • Citosinas
  • Lactoferrinas
  • Defensinas

O leite materno possui muito ferro, o que diminui os riscos de anemia no recém-nascido. E também possui menos cálcio que o leite de vaca, o que ajuda porque o cálcio faz com que o corpo tenha mais dificuldade de absorver o ferro.

Além disso, o leite materno é perfeito para o recém-nascido visto que a quantidade de proteínas, potássio e sódio é maior nos outros leites disponíveis no mercado.

Assim pode vir a fazer mal ao metabolismo e corpo do bebê, logo é mais benéfico para a saúde da criança ingerir o leite da amamentação.

Além disso, a gordura encontrada no leite materno possui ácidos graxos poli-insaturados, que irão formar os neurônios da criança e proporcionar as chamadas sinapses nervosas.

(Foto: Divulgação/Google/Imagens – Imagens livre de direitos autorais)

Vantagens do leite materno

 

Veja abaixo todas as vantagens de disponibilizar o leite materno para seu filho (a):

  • Aumento da imunidade

O leite tem muitas células de defesa e fatores anti-infecciosos, assim como proteínas que auxiliam no fortalecimento da imunidade.

·         Protege de infecções

A troca de saliva que acontece entre a mama e o bebê manda ao corpo da mãe informações sobre o recém-nascido. Se houver uma infecção no corpo da criança a mulher irá produzir anticorpos no leite que irão combater a bactéria presente no filho.

·         Diminui os riscos de doença

A amamentação diminui os riscos de doença no bebê, como leucemia, asma e diabete. E na mãe previne também o câncer na mama e no colo do útero, além de ajudar a mulher a retornar ao seu peso anterior a gravidez.

·         Fortalece os pulmões

Quando o recém-nascido mama, ele faz esforços que fortalecem seus pulmões e vias respiratórias, prevenindo  doenças respiratórias como asma e bronquite. Já a mamadeira, não necessita de tanto esforço e não exercita tanto o pulmão do bebê.

·         Previne de cólicas

As cólicas que o bebê tem, geralmente, são causadas por gases no intestino. O leite de vaca possui mais caseínas, proteínas mais fortes e mais difíceis de serem digeridas. Já o materno mais globulinas, que tem digestão mais fácil.

·         Anticancerígeno

A alfa-lacto albumina é a principal proteína do leite materno e é responsável por provocar a morte de mais de 40 tipos de células de câncer. Ao entrar em contato com os ácidos presentes no estômago, ele gera a HAMLET, um composto que é capaz de matar células cancerígenas.

As três fases do leite materno

 

No início da amamentação, o leite materno passa por três fases diferentes para nutrir o bebê conforme suas necessidades ao longo de suas duas primeiras semanas de vida. Mas, ao longo da amamentação o leite também se adapta criando anticorpos ou produzindo fatores anti-infecciosos.

Segundo a OMS, é recomendado amamentar o bebê até, pelo menos, 6 meses sendo possível alongar até a faixa dos dois ou três anos.

Primeira fase, O Colostro:

É o leite materno produzido pelo corpo do primeiro ao quinto dia após o parto, pode ser expelido um pouco antes do parto e molhar o sutiã.

Possui aparência transparente ou amarelada. Ele é rico em proteínas e imunoglobinas que fortalecem o sistema imunológico, protegendo o recém-nascido.

Leite de transição:

É produzido do sexto ao décimo quinto dia após o parto, é quando acontece a subida do leite. Sua composição é o meio termo entre o colostro e o leite maduro. Porém, é mais rico em gorduras e nutrientes que o colostro.

Ele tem uma cor mais cinza e aparência de aguado. Podendo levar algumas mães a desistirem de amamentar o bebê, pensando que o leite não é forte o suficiente para nutri-lo. Isso é um equívoco, visto que a composição do leite de transição é rica em nutrientes.

Leite de maduro:

É o leite produzido duas semanas após o parto. É mais rico em gorduras, proteínas e vitaminas. Além de ter tudo que é necessário para alimentar o bebê, é responsável por promover o desenvolvimento cognitivo do recém-nascido.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios