Qual é a Cobra Coral Venenosa?

Você já deve ter ouvido falar que a cobra coral verdadeira é uma serpente bastante peçonhenta. Seu veneno pode matar um indivíduo ou um animal de até 500 kg. Outra informação bastante divulgada é que a cobra coral verdadeira pode ser confundida com outras cobras, bem menos venenosas. Você saberia identificar a coral verdadeira? Sabe como proceder em caso de picadas? E onde elas são encontradas?

Se não, vale a pena continuar por aqui e saber tudo sobre as cobras corais verdadeiras. Além de bem informado, você saberá como se proteger em um eventual episódio de ataque por esse animal!

O que é Cobra Coral?

 

A cobra coral se trata de uma serpente, cuja picada é altamente venenosa – inclusive, a mais peçonhenta do Brasil. São animais de dimensões pequenas e cores vibrantes.

A cobra coral, no entanto, pode ser frequentemente confundida com outras serpentes menos peçonhentas. Essa confusão acontece devido às características parecidas dessas cobras. As serpentes parecidas com a coral são chamadas de falsa-coral.

O veneno da cobra coral verdadeira tem capacidade para matar um ser humano adulto ou mesmo um boi de até 500 kg.

Picada da Cobra Coral Verdadeira!

 

O veneno da cobra coral é conhecido como neurotóxico – ou seja – ele afeta o sistema nervoso, ocasionando sensação de formigamento no local. Depois de poucas horas, o indivíduo atacado pela cobra coral verdadeira passa a sentir dificuldades na respiração e problemas neurológicos – o que pode levar a vítima óbito.

Ao ser picado pela cobra coral, um serviço médico de urgência deve ser imediatamente procurado. O tratamento é realizado com a aplicação do soro antielapídico intravenoso.

As cobras corais verdadeiras não costumam apresentar um comportamento tão agressivo para o ataque como as cascavéis. No entanto, o seu veneno é muito mais tóxico.

Caso o socorro seja feito a tempo, ou seja, após 2 ou 3 horas, no máximo, a contar do ataque da serpente, há boas chances de o indivíduo picado sobreviver.

Onde vive a Cobra Coral?

 

O habitat natural da cobra coral verdadeira é em matas. No Brasil, ela costuma ser encontrada com mais frequência nas regiões Sul e Sudeste. As cobras corais verdadeiras ainda costumam circular em galhos de árvores, debaixo de pedras e dentro de buracos de troncos de árvores e do solo.

Além disso, elas vivem em matagais de áreas florestais do Paraguai, Uruguai e outras localidades da América Central.

Ao percorrer essas localidades, recomenda-se o uso de botas de cano longo resistentes, para evitar a picada da cobra, caso a pessoa pise, sem querer, em uma delas.

Qual a cor da Cobra Coral?

 

Diferenciar a cobra coral verdadeira da falsa-coral não é simples. Geralmente, a diferenciação entre elas está em pequenos detalhes de suas cores.

As cobras corais verdadeiras, por exemplo, possuem listras vermelhas seguidas por listras amarelas. As falsa-corais possuem essas listras não organizadas.

Porém, tal regra não é 100% confiável. Isso porque existem cobras corais verdadeiras que possuem melanismo, ou seja, apresentam pigmentação negra ou mesmo totalmente branca (cobras corais verdadeiras albinas).

A solução, então, não é tentar ficar descobrindo se uma serpente se trata da cobra coral verdadeira ou não. O recomendado é se afastar do animal, vagarosamente, para não o assustar, evitando ser atacado.

(Foto: Divulgação/Google/Imagens – Imagens livre de direitos autorais)

O que a Cobra Coral come?

 

As cobras corais verdadeiras se alimentam, preferencialmente, de lagartos de pequeno ou médio tamanho. Também atacam outras serpentes, além de outros répteis e anfíbios.

Reprodução da Cobra Coral

A cobra coral verdadeira é um animal ovíparo. A fêmea coloca de 3 a 18 ovos, que permanecem encubados por 90 dias. Os filhotes da cobra coral verdadeira já nascem peçonhentos.

Informações Cientificas da Cobra Coral

 

Confira a seguir alguns dados interessantes e científicos sobre as cobras corais verdadeiras:

  • Filo: Chordata;
  • Classe: Reptilia;
  • Ordem: Serpentes;
  • Família: Elapidae;
  • Gênero: Micrurus;

Dicas sobre o que NÂO fazer ao ser Picado por uma Cobra Coral Verdadeira

Algumas pessoas indicam procedimentos para serem adotados até que se chegue a um serviço de atendimento médico. Porém, tais informações costumam piorar a situação da vítima.

O correto, até encontrar atendimento, é apenas limpar a área com água (se possível) e manter a pessoa picada bem hidratada, com a ingestão de bastante líquidos. Também deixe a região picada livre de roupas ou calçados apertados – isso pode ocasionar necrose no local.

Veja que NÃO fazer, em eventuais casos de ataque por cobra coral verdadeira:

  • Sucção: jamais tente remover o veneno da cobra apertando o local da picada. Além de não resolver o problema, o veneno pode se espalhar, piorando a situação da vítima.
  • Torniquetes: como mencionado, mantenha a área picada livre de roupas ou calçados apertados. Muita gente diz que fazer um torniquete no local afetado evita que o veneno se espalhe. No entanto, ao fazer isso, a área afetada, sem circulação de sangue e repleta do veneno da cobra, pode necrosar.
  • Gelo: além de não resolver o problema da picada da cobra coral verdadeira, ao aplicar gelo no local, a temperatura elevada pode causar danos nos tecidos próximos.
  • Cortar: jamais tente cortar a parte do tecido em que a cobra fez o seu ataque. Isso pode causar problemas de infecção para a pessoa atacada.
  • Administrar medicamentos: apenas água e líquidos naturais devem ser dados à vítima. Não administre nenhum tipo de medicamento ou receita caseira.
  • Capturar a cobra: muita gente, até mesmo da área da saúde, recomenda aprisionar a serpente que picou a vítima para auxiliar no tratamento. No entanto, a cobra pode picar mais pessoas, fazendo mais vítimas. Os serviços de atendimento médico estão preparados para atender pessoas picadas por qualquer tipo de cobra, mesmo sem saber qual é ela.

A cobra coral verdadeira

Como pudemos conferir, a cobra coral verdadeira é a mais peçonhenta do Brasil. Sua picada mata um ser humano adulto ou mesmo um animal com até 500 kg.

Muitas cobras, porém, se tratam da falsa-coral, cujo veneno é bem menos perigoso. Porém, a semelhança entre esses dois tipos de serpentes dificulta identificá-las. A dica, então, como mencionado, não é ficar tentando descobrir qual tipo de cobra picou alguém, no caso de um eventual ataque.

A primeira coisa é retirar roupas ou calçados que estejam apertando o local da picada e procurar atendimento médico de urgência, em no máximo 3 horas. Além disso, você viu o que NÃO se deve fazer no caso de possíveis ataques.

Proteja-se, seguindo todas as dicas que demos para você, sobre a cobra coral!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios